domingo, 6 de novembro de 2011

Religião. Qual é a sua?




Bons momentos para todos!
Amigos queridos estava pensando nas nossas escolhas religiosas e da necessidade delas em nossas vidas. Valorizamos um estereótipo de crença e as defendemos. Buscamos nela a salvação de nossas angústias desesperadamente. Confesso que como base tive a orientação católica e no decorrer de minha vida busquei outras para que alguma fizesse o objeto de minha adoração e minha salvação.
Vivemos em constante angústia diante das dúvidas que nos assolam no perfeito caminho a seguir. Então, buscamos, buscamos e diante do esgotamento e “preguiça” estacionamos quando não na primeira, na mais próxima de nossos ideais e muitas vezes escolhemos aquela que “acreditamos” que nos salvará de todos os nossos deslizes no repetitivo perdão de nossas faltas e na proposta para a nossa cura física.
Não vou aqui esmiuçar nenhuma, até porque temos tantas hoje em dia. Gostaria de no momento definir em nossas mentes o que significa religião e como surgiu essa denominação para podermos situar nossa mente ao tema.
RELIGIÃO: Do latim religare significa religação com o Divino e surgiu justamente dessa necessidade do homem em se ligar ao Divino. Creio que esta definição basta, pois o sentindo proposto pelo homem em suas intenções pode variar conforme mais lhes provém. Não vamos detalhar, nem justificar. Podemos pesquisar caso interesse.
Então se Religião é religação com o Divino, todos que em seu íntimo sentem ou buscam sentir essa ligação já estão inseridos no contexto sem precisar de mais nada. Os complementos ficam por conta dos que pretendem manipular nossas ideias. Não critico e respeito àqueles que precisam das orientações externas para seu encaminhamento, mas posso afirmar, tendo como base a minha experiência, que a Religião verdadeira está dentro de nós e as orientações estão nas nossas buscas individuais para um encaminhamento seguro e reto. A pesquisa e as experiências do dia a dia nos orientarão quanto ao melhor caminho a seguir, pois a resposta está em nosso interior individual e único para cada um.
A vida é o educandário, as orientações dadas por Jesus a cartilha e a observação da vida o estágio. Por que digo que as orientações de Jesus é a cartilha? Porque nelas aprendemos a amar e esse é o caminho. O amor.
Se ainda precisamos estar integrados numa religião humana e se essa religião ensina o amor, acho válido. Mas, reafirmo que a compreensão do amor é um caminho próprio e único de cada um e que práticas, ritos e mitos não farão com que esse amor desperte incondicional e naturalmente entendido em ninguém. Então por que citei Jesus? Por que para mim, ele assim como nós, aprendeu a amar em igual evolução, passo a passo e retornou para nos contar. Outros também? Mesmo antes dele? Sim, mas não com tanto impacto e principalmente foi ele quem trouxe primeiramente para nós a importância do amor em nossas vidas como remédio para todos os males. Seus exemplos nos ajudam a querer amar cada vez mais.
Confesso que busquei, não digo em todas as religiões, pois à medida que meu entendimento ia se clareando eu ia selecionando as buscas. Hoje afirmo que não tenho religião.
Acredito na Divindade e na força da criação. 
Entendo a natureza como um todo onde contribuímos na distribuição energética para a vida mineral, vegetal, animal e hominal.
Acredito na força do pensamento, no poder das intenções e nas diversas dimensões organizadas.
Acredito que somos força energética que habita em diversas matérias para evoluir.
Acredito na roda da vida que vai e vem nos ensinando a “acordar”.
Acredito na bondade e em seu poder organizado de agir.
Acredito no amor ligando almas em todo o Universo e na força desse amor no resgate dos que se demoram na inconsciência e na lentidão em seus desenvolvimentos.
Acredito que, assim como Jesus nosso exemplo mais próximo, podemos chegar lá e que faremos um dia parte dessa colaboração em diversos estágios de novos mundos.
Minha religião está dentro de mim buscando dia a dia amar simplesmente, esgotando em mim todos os vícios que adquiri em minha jornada educacional. Refazendo meus caminhos.
Não digo que não entro num templo para ouvir uma palestra edificante, nem digo que não me refaço num ambiente enriquecido de energias salutares nem desprezo as leituras diversas sem preconceitos onde filtro e bebo o melhor para mim. Não tenho preconceito. Só percebo que não mais preciso me cobrar nem me julgar quando não quero nem necessito de disciplinar minha presença em nenhum templo religioso e sua rotina. Já tive essa experiência que foi válida para mim. Portanto não julgo ninguém, nem quero convencer ninguém a desistir de estar inserido em suas escolhas religiosas.
Nossa força interior, embora muitas vezes adormecida nos encaminha para a estrada certa. Precisamos ter olhos de ver e ouvidos de ouvir, vontade para fazer e humildade para aprender.
Aprendi que ouvir é o melhor remédio. Quando ouvimos com carinho temos tempo de analisar melhor a situação e perceber o acontecido. O grito pode derrubar um muro, mas o silêncio afasta a montanha.
Religião, futebol e política dizem por aí que não se discute.
Sabemos que a discussão é desnecessária em todos os assuntos principalmente a discussão radical e nociva das ideias, pois o que precisamos é dialogar respeitando as escolhas de cada um e aprendendo com o melhor que surge. Sou dessas.


Frase para pensar: 
A religião é um pouco verdadeira para os pobres, falsa para os sábios e útil para os dirigentes. (Seneca)
Paz e muito amor para todos. Valéria Ribeiro.

2 comentários:

fidalgo disse...

Gostei do texto que acabo de ler e diria que o seu conteúdo é totalmente aceitante. Deixa todas as portas abertas à discussão do todo da espiritualidade. Considero-o um valor fundamental para que a discussão do tema nos leve à evolução da "Fonte Única" que está dentro de nós.Com a condição de estarmos permanentemente conectados com a "Fonte Única" de todas as "Fontes Únicas" - Deus e Jesus Cristo. Sou católico e com um portal aberto para o Todo da Espiritualidade,sempre pronto para fazer aquela que considero a melhor colheita espiritual para a minha evolução.
Encontramo-nos no meu Mural no Facebook, com Gratidão!!!!

fidalgo disse...

Gostei do texto que acabo de ler e diria que o seu conteúdo é totalmente aceitante. Deixa todas as portas abertas à discussão do todo da espiritualidade. Considero-o um valor fundamental para que a discussão do tema nos leve à evolução da "Fonte Única" que está dentro de nós.Com a condição de estarmos permanentemente conectados com a "Fonte Única" de todas as "Fontes Únicas" - Deus e Jesus Cristo. Sou católico e com um portal aberto para o Todo da Espiritualidade,sempre pronto para fazer aquela que considero a melhor colheita espiritual para a minha evolução.
Encontramo-nos no meu Mural no Facebook, com Gratidão!!!!