terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Parceria




Bom dia Amigos!
Tive uma experiência neste final de semana que me deixou muito pensativa.
Até que ponto contamos com nossos companheiros (incluindo neles os parentes, amigos etc) em nossas vidas? Nas vivências construimos nossos grupos, os da vizinhança, os da escola, os da instituição religiosa, os do lazer, os mais íntimos e os menos íntimos e tantos outros. Para cada grupo alguns pontos de interesses unindo esse grupo. Mas e nas realizações comprometidas nestes pontos? Onde a parceria? Aquela com interesses comuns onde o que rege é a fraternidade entre esse grupo? As realizações onde o egoísmo não deveria estar presente?
Os grupos distintos se reunem para determinados acontecimentos e ou realizações, mas o que geralmente rege é o interesse individual e egocêntrico (sem generalizar é claro). Vejamos no esporte, um  grupo está defendendo o seu time não estou falando dos grandes times onde as grandes torcidas se reúnem, estou falando do pequeno grupo que "disputa" com outro grupo. Será que neste pequeno grupo todos estão interessados na vitória do grupo ou no próprio gol e sua vitória pessoal? E o grupo que se junta para realizar uma caridade? facilitam prazerosamente aquele grupo para que a vitória naquela realização seja fraternal, construtiva e realmente amorosa? ou na própria caridade individual que busca "o perdão de suas faltas"?
Radical? pensamos. Mas num simples encontro de comemoração de fim de ano, encontramos aqueles que estando inserido naquele grupo por qualquer motivo, estão alí não para confraternizar, abençoar, bem dizer a parceria construtiva, em seus objetivos naquele ano que se finda, mas irradiando azedume e poluição ambiental com seus mal humores, boicotes e sintonia baixa. Esses são só alguns exemplos, pois os grupos são infidáveis e os interesses deles também.
Precisamos pensar nossas parcerias e analisar o bem que colocamos nelas, pois parceria é estar juntos, é construir juntos, é realizar juntos, é querer todo o bem juntos e para todos. Jesus buscou a parceria nos amigos apóstolos e foi o primeiro a demonstrar essa importância fraternal dando amor incondicional não só aos seus parceiros, mas à toda Humanidade. Vamos procurar trazer o amor para os nossos grupos nos apresentando e nos comportando realmente parceiros humanitários. Valéria Ribeiro.

Um comentário:

Tereza Telles disse...

consigo visualizar incontàveis situaçoes assim, infelizmente!